Entrevista – Tiago Marques

Born and raised na Póvoa de Varzim, o Tiago Marques emana confiança, loucura (agora mais comedida) e um sucesso invejável entre o público feminino. O bom humor e o sorriso contagiante são duas características das quais não consegue separar-se há 35 anos. Adora uma boa dose de diversão e de, através dela, marcar a vida das pessoas com quem se relaciona.

 

LC: Reza a lenda que tens um destino de férias preferido… Conta-nos essa história.

Tiago: Quando ainda era um miúdo, os meus amigos mais velhos fascinaram-me com histórias sobre a magia de uma determinada Ilha. Confesso que conseguiram que me apaixonasse por ela sem nunca ter pisado a sua areia. Um dia, decidi que não morreria sem por os pés em Ibiza! Convenci o meu primo a acompanhar-me e lá fomos à descoberta.

Descobrimos uma Ilha paradisíaca. Para mim, que sou amante de música tecno e eletrónica, é mágica. As discotecas são as melhores do mundo e palco obrigatório para os DJs de topo. O ambiente é completamente invulgar. As pessoas já lá vão com o intuito de aproveitar a Ilha e tudo o que ela tem de melhor. É um verdadeiro paraíso.

Depois de lá ir, não há como não voltar. Não só para o tipo de férias que eu faço como homem solteiro, mas também para disfrutar em casal. Definitivamente a Ilha é mágica e só quem lá vai entende o que digo.

 

LC: Qual a situação mais louca ou caricata que guardas de Ibiza?

Tiago: Tenho algumas que não podem ser contadas, mas tenho outras que podem…

Era o nosso último dia em Ibiza nesse ano. Eram 8h da manhã e, depois de uma noite fenomenal no Amnesia, decidimos regressar ao centro da cidade ao invés de ingressarmos numa after-party. Apanhamos o autocarro completamente estourados e, de repente, o condutor do veículo decide tocar o maior tecno da noite. Nunca pensei que um autocarro pudesse balançar com tanta intensidade durante tanto tempo! Quando achávamos que a noite tinha acabado, tivemos um extra de 20 minutos de perder a cabeça. Tenho até um vídeo que mostra o quão épico aquilo foi.

 

LC: Quantas horas de dedicação são necessárias para ficar no estado físico em que estás?

Tiago: O meu estado atual equivale a 14 anos de treino. Desses 14, os últimos 7 de forma sistemática, sem uma única pausa. Nunca trenei para competir, gosto apenas de um bom aspeto físico e é disso que vivo enquanto personal trainer e professor de educação física. Atualmente, preciso de investir mais tempo para alcançar os mesmos resultados, não só pelo fator idade, mas também porque fiquei mais exigente comigo e com a imagem que apresento às pessoas. Afinal, o meu trabalho vende ao cliente e ao aluno um estilo de vida ativo, repleto de benefícios ao nível da saúde e do aspeto físico.

Neste momento, dedico 1h30/2h do meu dia aos treinos, de segunda a sábado. Ao domingo, deixo o corpo descansar e faço um cardio mais leve. Não custa nada, esta rotina faz parte de mim. A gestão do tempo é que é mais complicada, porque para além dos dois PTs que faço e da escola, também sou pai.

Claro que aqui a suplementação também é um fator chave. São algumas dezenas de euros que saem do meu bolso todos os meses. Suplementos como proteína, glutamina e aminoácidos são a base. Fora isso, dependendo da época do ano ou do treino que estou a fazer, vou complementando com outros suplementos.

Em termos de alimentação, tento fazer 5/6 refeições limpas por dia, embora por vezes seja difícil… o açúcar é a droga da felicidade. Atendendo ao estilo de vida que levo e aos horários apertados é fácil escorregar, ainda que tente programar com antecedência as refeições. A base de uma boa dieta é sempre a programação e antecipação. Se sei que vou ter um dia complicado e facilitar, naturalmente acabo por cometer erros. O meu trabalho permite-me comer de 3 em 3h e essa é uma das facilidades dentro das dificuldades que tenho.

Recapitulando, um bom programa de treino, um bom acompanhamento profissional (no meu caso não preciso, porque eu próprio sou o profissional 😛 ), muita dedicação e algum trabalho são os ingredientes essenciais.

 

LC: Que cuidados regulares tens para manteres uma boa imagem?

Tiago: Confesso que neste aspeto sou um bocadinho preguiçoso. Há dias em que me dedico completamente e tiro o dia para ir ao cabeleireiro, aparar a barba e fazer a depilação e depois passo dois meses sem tocar em nada.

No entanto, há duas coisas que nunca falham: um bom creme anti-rugas no rosto e loção hidratante depois do banho. Este ritual existe desde os meus tempos da Faculdade. Tive a sorte de herdar da minha mãe uma boa pele e, apesar de ainda não ter muitas rugas acentuadas, a prevenção é o caminho.

Para além destes dois cuidados obrigatórios, claro que o uso de desodorizante e de creme da barba também estão no topo da tabela.

Um dos descuidos que tenho é a proteção solar. De há uns anos a esta parte, desde que tenho as tatuagens, tenho também desenvolvido um trabalho árduo nesse campo. Assim, o protetor solar e o pós-solar começaram a fazer parte da minha vida.

De qualquer das formas, continuo a acreditar que tive boa sorte na genética. 😀

 

LC: O que é preciso ter para conseguir deixar crescer uma barba de luxo?

Tiago: Eu tenho um sério problema… Sempre que aparo a barba ganho 10 anos, porque tenho cara de menino – primeira razão pela qual a deixo crescer. Em segundo lugar, posso dizer que a minha barba acaba por ser efetivamente uma imagem de marca. Na minha opinião, é um símbolo de carisma e carácter e, por isso, para a carregar é preciso ter uma determinada postura e um determinado look que a acompanhe. Por exemplo, não me interessaria ter metade do meu peso e uma barba enorme. Seria altamente desproporcional.

Ao contrário de muitos homens, não me custa nada deixar crescer a barba porque, como já disse, sou preguiçoso. O que me custa são os cuidados que preciso de ter para que seja uma barba de luxo. Mas, como tem que ser, o óleo é algo que nunca falta, juntamente com o amaciador. Estes dois produtos são imprescindíveis, uma vez que a minha barba é rígida e espessa. Obviamente tenho também o cuidado de a aparar e de lhe dar alguma simetria.

Um bom barbudo será sempre um bom barbudo!

 

LC: Qual o segredo para ter tanto sucesso entre o público feminino?

Tiago: Não há um segredo, há vários segredos. Neste momento, acredito que o público feminino gosta de um homem que sabe ser homem nos momentos certos. Se eu souber manter uma postura educada e um bom sentido de humor é meio caminho andado. Se juntarmos alguma dedicação e aspeto físico, temos o cocktail perfeito. Obviamente não há uma receita, porque nem todas as mulheres apreciam o mesmo estereótipo. Há um determinado grupo que aprecia homens como eu (altos, morenos, com barba e algo musculados) e outros grupos não.

Se tivesse que escolher uma característica diria que o sentido de humor bem apurado é o que mais cativa a maioria das mulheres, embora o sorriso também tenha feito alguns estragos. 😉

 

LC: Qual a maior lição de vida que as crianças te dão, como pai e como professor?

Tiago: Como pai aprendi duas coisas muito importantes. A primeira foi a deixar de ser tão egocêntrico (vivia essencialmente para mim). A partir do momento em que o Tiaguinho nasceu, fui obrigado a alterar os meus objetivos de vida e a minha forma de estar, uma vez que ele passou a ser o centro das atenções. Inicialmente foi complicado, porque sempre vivi em função do meu bem-estar e das minhas vontades, mas com o tempo esse egocentrismo foi desaparecendo.

O segundo aspeto foi a sensibilidade incrível que desenvolvi e que acabei por transportar para a escola. Hoje, para além de conseguir colocar-me no papel de pai do aluno, consigo também olhar para uma criança/adolescente e, através do seu histórico familiar, encontrar explicações para determinados tipos de comportamento ou dificuldades, tanto na aprendizagem como na postura social. A analogia de que o professor é como um escultor passou a fazer sentido: recebemos um bloco de pedra e vamos criando obras de arte.

É um cliché, que ouvi muitas vezes dos colegas, mas que faz todo o sentido: quando somos pais, vemos para além do aluno.

Paula Sampaio Duarte

2 Comments

  1. E ainda dizem que os homens não se preocupam. Parabéns pela entrevista 🙂 ao Tiago e ao Le Charmeur

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *